sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Cuidado com a rotina

Não deixe o encanto da relação se perder pelo caminhoFalta de estímulo, trabalho demais, filhos que exigem muita atenção, impaciência...


São vários os motivos que podem contribuir para que o relacionamento caia na rotina, por isso, é preciso ficar atento para manter a empolgação e o encanto do início do namoro. Alguns simples cuidados podem fazer a diferença e demonstrar que carinho e cumplicidade nunca saem de moda.


Mas lembre-se de que uma relação deve ser construída a dois, portanto, avalie os seus erros antes de cobrar demais e mãos à obra. Não pense que os anos só trazem desgaste e afastamento. Com o convívio, o amor se firma e a intimidade torna o casal ainda mais unido, capaz de se entender com um simples olhar.


Esta pode ser uma prova de que o amor vem amadurecendo com o tempo, trazendo equilíbrio para a vida em comum. Entretanto, se ultimamente a harmonia mais parece monotonia, fique atento para virar este quadro e reaver o interesse.


Para isso, não dispense uma boa reflexão sobre os erros do passado, para reconstruir o que anda sendo deixado em segundo plano. “Vivia me questionando onde eu havia errado. Queria uma explicação, até descobrir que precisava resgatar os sentimentos.


A primeira coisa que fiz foi acabar com o vazio que havia se formado entre nós dois. Deixei de lado o orgulho e o egoísmo e demonstrei claramente que aquela situação precisava ser mudada. No final das contas, percebi que nem foi tão difícil porque no fundo, devido aos anos de intimidade, eu sabia exatamente o que ele esperava de mim”, conta a pedagoga Adriana Silveira, que reconquistou o marido, após 10 anos de casamento.


Adriana afirma que em nenhum momento perdeu as esperanças e garante que o relacionamento anda muito melhor que nos primeiros anos. “Agora estamos seguros de que os nossos sentimentos são maduros e capazes de superar os problemas que surgirem pelo caminho. O desgaste é natural, mas não devemos nos deixar levar pela correria do dia a dia, esquecendo do que realmente deve ser prioridade em nossas vidas.”






Dicas que podem devolver o brilho ao seu relacionamento :










– Valorize mais as qualidades que os defeitos;




– Elogie mais e implique menos;




– Converse bastante e procure perceber o que precisa ser mudado;




– Mostre que está disposta a reverter a situação;




– Relembre os bons momentos e descubra onde eles se perderam;




– Demonstre interesse pelas coisas dele;




– Pergunte mais, mas cobre menos

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Você é uma esposa de paz?

Ct 8:10 “Eu sou um muro, e meus seios são as suas torres, assim me tornei aos olhos dele, como alguém que inspira paz.

Estamos acostumados a apresentar o homem, o marido, como aquele que promove a proteção de sua esposa. Mas é interessante que em alguns momentos da vida, é ele quem precisa se sentir seguro, necessita encontrar um lugar de refúgio, um abrigo.

E aqui vemos a sulamita se apresentando como sendo este lugar na vida do seu amado. Ela diz ser para ele como um muro, um refúgio, uma proteção e também ser alguém que lhe inspira paz. Ele vê nela, alguém com quem se pode contar para um bom descanso e refrigério sem nada temer. Nos seus braços ele depõe as armas, se esquece que há uma luta lá fora, e se deleita naquele instante, tão somente.

Acho incrível estas coisas que ela diz, porque realmente é isto, muitas vezes, o homem estressado, sobrecarregado busca um lugar de descanso e é muito bom quando ele encontra na esposa essa pessoa, que o ajuda a estar bem, que vela pelo seu momento de “relax” , que lhe inspira confiança e lhe dá a oportunidade de refazer as suas energias.

Realmente uma esposa deve ser um manancial de alegria, prazer e deleite para um guerreiro, quando este se apresenta esgotado depois de muitos combates.

Eu entendo o que diz o marido da mulher virtuosa de provérbios trinta e um quando ele diz que existem muitas mulheres maravilhosas no mundo, mas que a mulher dele é melhor do que todas, ela está acima, vai além de cada uma delas. Não creio que ele esteja falando do seu corpo escultural, de sua performance sexual, de sua beleza exterior. A mim me parece que o algo a mais está realmente no fato de ela lhe inspirar paz.

Quantas mulheres deveriam ler um isto, e procurar ser um abrigo contra a tempestade e sombra contra o calor para o seu marido. Deve ela ter uma postura tal com sua vida no cotidiano, que ele se alegra na sua presença e especialmente nos seus momentos de intimidade. Ele não tem dúvida a respeito dela, pois "ela lhe faz o bem e não o mal todos os dias de sua vida" ( Pv 31). Não pesa contra ela nada que a desabone, nenhuma desconfiança há.Tão somente admiração e apreço.

Será que você, mulher, tem sido uma inspiradora de paz na vida do seu marido, ou ele, na sua presença não consegue se desarmar, tem que estar sempre de prontidão, pronto para o pior ou para um novo confronto.

Quero te ajudar nesta auto análise, e começo perguntando, você é daquelas que mesmo quando o marido está chegando cansado lhe despeja uma multidão de problemas na sua cabeça, que lhe imputa faltas como se verdadeiras fossem, que com sua mente investigativa encontra sempre um motivo para acusá-lo ou ainda, o submete a um verdadeiro processo inquisitório, sem muita chance de defesa?

Olha, o que eu vou dizer a seguir não justifica, mas explica, e nos dá a oportunidade de a gente entender as motivações que levam um homem a procurar uma outra mulher. E no meu modo de ver, eis aqui, certamente um motivo que deve levar muitos a isto, a falta de uma mulher que lhe seja um abrigo seguro, um muro contra a tempestade, um cobertor contra o frio. E o pior, é que algumas mulheres são uma fonte de tempestade na vida do marido.

Eclesiastes 4:9-12, nos ensina que é melhor viver a dois, um aquentando o outro, fazendo com que o outro se levante quando estiver caído e ajudando na resistência contra a inimigo, mas para isso é preciso que se determine como a sulamita , sendo para ele como um muro, alguém que inspira paz e não guerra.

O perfil da esposa ideal segundo o que Deus planejou

A mulher é o elo que liga marido e filhos. Por esta razão ela é, por muitas vêzes, o ponto de equilíbrio do lar. Uma mulher virtuosa é capaz de fazer do seu lar um jardim de felicidade e alegria em Cristo, apesar das circunstâncias.

O primeiro nome que a mulher recebe na Bíblia é de auxiliadora. Auxiliadora para completar o homem, consciente de que em Cristo não há diferença. Gl 3:27-28; 1 Co 11.3.

“ Nós fomos criadas para sermos mulheres. O fato de ser mulher, não me faz um tipo de cristã diferente, mas o fato de ser cristã me faz uma mulher diferente.

A mulher como auxiliadora - discípula, deve revelar o caráter de Cristo em seu viver diário, conservando sobre si a unção do Espírito Santo. Antes da submissão ao marido, já deve ser ao Senhor. Isso só é possível se a vida estiver centralizada em Cristo.



I. OS DEVERES DA ESPOSA SEGUNDO O PLANO DE DEUS.
As feministas, consideram a “submissão” da mulher ao marido, algo inconcebível, porém é preciso compreender esta regulamentação divina, na ótica divina e não humana.

1. S U B - M I S S Ã O (1 Pe 3. 1 - 7; Ef 5. 24) O que a Palavra de Deus nos ensina, está no significado da palavra submissão.

1. DEFINIÇÃO. Compreendendo este princípio, partindo do significado literal da palavra “submissão”.

SUB - quer dizer “debaixo - de”.

MISSÃO - “profissão ou vocação.”

Em resumo: SUBMISSÃO é EXERCER MISSÃO DE APOIO, missão de base, de auxilio. Alguém disse: “Por detrás de um grande homem, sempre existe uma grande mulher”.

A submissão deve ser a mais forte demonstração de amor da mulher para com o marido. Esta submissão não escraviza. É importante entender o que não é submissão segundo a Bíblia. Submissão, não é ser empregada doméstica de luxo, não é ser super-dependente, não é se auto-escravisar, não é se anular como pessoa.

2. Quais são os benefícios da submissão, segundo a Palavra de Deus.

1) Proteção. Proteção é o primeiro benefício da submissão. Uma mulher que não exerce missão de apoio no lar, está desprotegida e exposta aos perigos nas áreas EMOCIONAL, FÍSICA E ESPIRITUAL. Toda atitude de rebeldia da legalidade para o maligno e anula a operação de Deus. Não há operação divida na vida de quem não obedece os princípios da Palavra de Deus.

2) Equilíbrio Social. (Gl 3:27,28)

3) Poder espiritual, (1 Pe 3:6).

3. Três exemplos negativos de esposas:
1)Eva, Gn. 2,17; 3. 6. Por causa da insubmissão de Eva, quanto aquilo que o Senhor havia dito, toda a natureza sofre os efeitos da queda. Não valeu a pena.
2) Mulher de Ló. Gn 19.17,26. A insubmissão desta esposa, atraiu o juízo de Deus sobre si, ela foi transformada em um “monte de sal”. Dura coisa é viver ao lado de uma mulher, cuja atitude e comportamento é uma verdadeira salmoura.
3) A Mulher de Jó. (Jó 2.8,9). Se Jó não tivesse raízes profundas em sua vida de compromisso com Deus, certamente ele teria esmorecido diante das palavras de morte de sua esposa. Há muitas pessoas que tem tudo para serem felizes, só não o são, por causa daquilo que vem sendo dito um para o outro dentro do lar. Não podemos nos esquecer que, “palavras tem poder para construir ou destruir”.



4. Dois bons exemplos de esposas:
1) Sara, I Pe 3.6 . Se esta esposa não foi perfeita, foi virtuosa, porque jamais o Espírito Santo levaria Pedro a escrever sobre ela, de uma forma tão honrada, se ela não fosse uma “esposa virtuosa”.

2) Ana, I Sm 1.8-11. Dentre muitas mulheres que a Bíblia faz menção, esta é uma das que me chama atenção. Algumas qualidades de Ana : Humilde, Persistente, Confiante, Sensível, Grata, Íntegra.

2. O PRIMEIRO PASSO DA SUBMISSÃO:
1. Reconhecer o marido como líder “O Cabeça“ do lar, e levar todos os filhos a respeitá-lo como tal. (Ef. 5:23)

2. Quando a mulher não reconhece o marido como líder, ela passa a usar alguns meios para roubar-lhe a AUTORIDADE, competindo pela liderança. Quais os meios que uma mulher pode usar para roubar, interferir, diminuir a autoridade do marido?

 Através de horários, estas estabelecem hora para tudo e faz do relógio uma forma de “algema” para o marido.

 Através do sexo. Ouví falar de uma mulher, que só tinha relação sexual com o marido, se ele pagasse em dinheiro

 Através de doenças que não existem. Você sabia, que tem algumas mulheres que tem o hábito de reclamar de doenças, ou vivem dizendo que está doendo. São pessoas que tem problema de “auto-piedade”, gostam que os outros tenham dó delas. Se está doente, é obrigação do marido, procurar médico, assistência para esposa, mas se a mulher esta usando uma “estratégia enganosa” para enfraquecer a liderança do marido, esta atitude aos olhos de Deus é pecado.

 Através das lágrimas. Quando uma mulher chora demasiadamente, usando as lágrimas como “uma arma”, para impor algo, ela está revelando imaturidade. Uma esposa sábia jamais faria isto.

 Através da Espiritualidade. Um certo pastor me contou, que em sua igreja havia uma esposa, que quando queria forçar o marido a fazer alguma coisa, profetizava para ele. Essa atitude de brincar com o sagrado, pode trazer sérios prejuízos para a família. Uma espiritualidade sadia, não brinca com as coisas do Espírito Santo.

 Através do Desperdício. Reconheço que muitos marido são “excessivamente econômicos”, porém, alguns fecham a mão, provocados pelo desequilíbrio no gastar das suas esposas. O equilíbrio financeiro, depende não só do marido, mas também do equilíbrio da esposa.

 Através do Silêncio. O que dizer de um casal que consegue ficar uma semana, um mês ou um ano sem conversar dentro de casa. Para que isto não aconteça é bom lembrar do que Paulo escreveu aos Efésios :”Quando estiverem irados, não pequem alimentando o seu próprio rancor. Não deixem que o sol se ponha com vocês ainda irados - resolvam isto logo.” Ef. 4: 26

 Através das ameaças de suicídio ou separação. Penso que nunca deveríamos falar aquilo que na verdade, não queremos que aconteça. Fico admirado com a facilidade com que algumas esposas dizem para o marido: “Desse jeito vou embora”, “Tenho vontade de tirar minha vida”, etc. Por pior que seja a crise, nunca devemos tentar apagar o fogo com gasolina.

“Que exemplo esta mulher está dando às filhas?”

(Ez .16 :44)

2. O que a mulher demonstra ao reconhecer o seu papel?
1. Aceitação da vontade de Deus, 1 Jo 2.17. “Foi Deus quem baixou essa determinação regulamentadora da vida doméstica”. Rejeitar este principio, é não estar vivendo sob o senhorio de Cristo.

2. Profundo amor ágape . Tito 2.3-5.

“As mulheres idosas, semelhantemente, sejam sérias no seu viver, como convém as santas, não caluniadoras, dadas a muito vinho. Então poderão ensinar as mulheres novas a amarem seus maridos e filhos,”

Quando escreví para os maridos, procurei ser objetivo e direto, quanto ao dever do homem de amar a sua esposa voluntariamente, incondicionalmente e sacrificialmente. Se a esposa espera ser tratada como eterna namorada, com romantismo, respeito, carinho, cortesia, atitudes de bondade, etc., ela tem toda razão . Porém, faço uma pergunta para as esposas: “O que vocês estão fazendo para merecer este tratamento?”

Não é difícil cobrar, difícil é fazer aquilo que estamos cobrando do cônjuge. Muitas mulheres, depois que se casam, deixam morrer o “espírito romântico”, e passam a menosprezar aquilo que pode manter o casamento cheio de graça e vida.

Alguém disse: “Quem tem na garagem um carro Vectra ou Omega, não sai a procura de fusquinha meia qualquer coisa...” Quem tem em casa uma grande mulher, não sai em busca de “mulherzinha sem caráter”. Muitas mulheres estão perdendo seus maridos, por não fazerem o mínimo necessário, para mantê-los conquistados.

Muitas pessoas só conseguem dar valor ao que tem, depois que perdem.

1) Perguntas Que Podem Ajudar As Esposas Que Desejam Melhorar:

 Como você demonstra seu amor para o seu marido? É impossível amar sem demonstrar quem ama de alguma forma isto aparece.

 Como você trata seu marido na intimidade e diante das crianças e outras pessoas?

 Você o surpreende as vêzes com atitudes românticas?

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Os 10 mandamentos para o futuro casal

1º AMAR ao outro como a si mesmo. Se não há um sentimento puro, sincero esqueça.(Ef.5.25)

3º AMAR é ter responsabilidade pelo outro, pois a Palavra empenhada é aprovada por Deus. (Mat.18.19).

4° AMAR também exige COMPROMISSO, Planos para o Futuro, começa com uma base sólida de namoro.Tito2:4

5º AMAR é não NEGLIGENCIAR os Conselhos dos mais experientes, principalmente, Pai e Mãe. (Ef. 06:02) 

6º AMAR é viver na DEPENDÊNCIA do Espírito, pois o "Discernimento Espiritual" é importante.( Mat. 06: 33).

7º AMAR é CEDER quando perceber que há certos momentos de indecisões,aceitar opiniões, refletir.Ti: 3.9

8º AMAR é saber REMIR O TEMPO, não fique espe- rando uma década pela decisão do matrimônio.Lembre: Que o tempo é fugaz, portanto decidam-se... (Ef.5.16).

9º AMAR é saber PLANEJAR , não entre em Canoa Furada, antes de Subir ao Altar, ARRUME A SUA VIDA FI- NANCEIRA - ( Provérbios 13: 01 e 14: 01 ).


10º AMAR É CONFIAR EM DEUS, quando o namoro é preparado por Ele, tenha certeza meu irmão que:TUDO DARÁ CERTO. ( Isaias 49: 23 ).


2º AMAR também é Respeitar as individualidade entre ambos. ( Espiritual, Emocional e Física)Ver Col 3:19

Conselhos para quem quer se casar

" Ao homem pertencem os planos do coração; mas a resposta da língua é do Senhor. Todos os caminhos do homem são limpos aos seus olhos; mas o Senhor pesa os espíritos. Entrega ao Senhor as tuas obras, e teus desígnios serão estabelecidos.O coração do homem propõe o seu caminho; mas o Senhor lhe dirige os passos." Pv. 16: 1-3,9

Em dias que os valores estão distorcidos, onde existe tanta irresponsabilidade na área de formação de famílias. Em dias em que a mídia sem escrúpulos coloca como atores principais adolescentes em cenas de nudez e perversão sexual, ou novelas do tipo Malhação, onde um tempo atrás uma médica aconselha a uma mãe a deixar que o filho transe com a namorada dentro de sua própria casa.


1. NÃO SE PRECIPITE.
Deixe as coisas acontecerem naturalmente. Você é especial para Deus e Ele tem preparado aquele (a) que irá compartilhar com você os seus sonhos, os seus anseios.

Se você já está namorando alguém, deve lembrar que no período de namoro deve-se ter um comportamento santo, evitando ao máximo as carnalidades, os contatos físicos, porque esta atitude está na contra mão da espiritualidade. Embora a idade da adolescência, da juventude a pessoa esteja biologicamente com a sua sexualidade a flor a da pele. Deve-se buscar em Deus o equilíbrio, o controle.
É triste ver na mídia, nas instituições religiosas e governamentais estimularem e orientarem os nossos jovens a praticarem o sexo com segurança; Isto é, usando preservativo como se o sexo livre fosse opcional. Eles passam a mensagem de que você deve se soltar e só fazer sexo com alguém que você ama, para se sentir seguro (a).Etc. A Bíblia condena claramente a prática do sexo, fora do casamento. Definitivamente não existe sexo seguro fora do casamento. Não devemos esquecer que camisinhas furam. Por isso você jovem não deve se precipitar. Deixe o afã das carícias para ser desfrutado após o casamento.

Se você estiver namorando gaste tempo para conhecer esta pessoa que você diz amar. É bom tirar tempo no sentido de conversar sobre os gostos e o futuro de vocês evitando ao máximo contato físicos.

Cultive um relacionamento de harmonia, de paz e de autocontrole, de amor puro. Não façam nada que venham a se envergonhar mais tarde. Vale a pena esperar o casamento. Vocês terão muito tempo, uma vida inteira para se relacionarem sexualmente

2. ESTEJA SEMPRE DEBAIXO DAS ORIENTAÇÕES DE SEUS PAIS

Há uma tendência e prática no meio da juventude de pensar que já são livres em suas ações e que os pais não devem se intrometer. A obediência às determinações dos pais com certeza é o fundamento básico para a benção enquanto estão juntos a eles e obedecendo-os com certeza estarão sendo preparados para que no futuro saibam administrar a sua própria família. O quinto mandamento com promessa deixa bem claro: “Honra a teu pai e a tua mãe, como o senhor teu Deus te ordenou, para que se prolonguem os teus dias, e para que te vá bem na terra que o Senhor teu Deus te dá”. (Dt. 5:16)

Com certeza os seus pais querem o melhor pra você e a interferência deles é sem dúvida nenhuma saudável e necessária para as devidas correções de rumo em sua vida.

Leve a sério as sua orientações, observações e conselhos. Siga sempre os horários pré–estabelecidos. Conviva somente com amizades reconhecidas pela sua família.

Infelizmente, quero destacar, que existem modelos de pais por aí que, muitas vezes não correspondem com uma realidade cristã e por conseguinte deixam a desejar no que diz respeito na formação de caráter de seus filhos, porém mesmo assim a sua atitude para com eles deve ser de testemunho bom e saudável. Busque em Deus e na sua Palavra as orientações seguras. O seu pastor poderá ajudá-lo (a) nestas horas de conflito, para que o seu futuro não esteja comprometido e você esteja fazendo exatamente a vontade de Deus.

3. LEMBRE-SE: QUANDO ESCOLHER ALGUÉM PARA NAMORAR, ESTA PESSOA DEVE SER UM CRISTÃO LEGITIMO.

A Bíblia diz: “Andarão dois juntos se não estiverem de acordo”.(Am. 3:3).

A Bíblia também fala em II Co. 6:14 sobre o jugo desigual. “Não vos prendais a um jugo desigual com os incrédulos; pois que sociedade tem a justiça com a injustiça? Ou que comunhão tem a luz com as trevas”?
Imagine você já casado(a) e o seu cônjuge começar a pensar e agir totalmente contrário aos princípios bíblicos. Você vai querer ir à Igreja no Domingo na Escola Dominical – Ele (a) vai querer ir ao clube e ainda por cima levar as crianças.

Você como um bom cristão que ama Deus não vai querer bebida alcoólica dentro de casa. Ele(a) além de trazer bebida pra casa, ainda vai trazer os amigos inconvenientes. Estes e tantos outros motivos são fatores pelos quais os casamentos se desfazem. Com certeza muitas pessoas ignoram em tempos de namoro estes pequenos porem importantes detalhes e por isso passam por situações muitas vezes constrangedoras.
O bom mesmo, para um relacionamento ser estável é começar certo. O bom é que ambos sejam cristãos genuínos, nascidos de novo, conhecerem verdadeiramente Jesus Cristo, ter uma experiência com um poder restaurador de Deus.

4. ANTES DE SE ENVOLVER EMOCIONALMENTE COM ALGUÉM NO NAMORO, SE ENVOLVA ESPIRITUALMENTE COM CRISTO JESUS.
Jesus Cristo deve ser a prioridade de sua vida. A Bíblia diz que você deve buscar a Deus em primeiro lugar e a sua justiça e as demais coisas serão acrescentadas por Ele em sua vida.(Mt. 6:33)
Gaste tempo, tendo prioridade na leitura, estudo da Bíblia e na oração.
Leve a sério à vida cristã. Tenha compromisso com a sua igreja local. Não fique pulando de Igreja em Igreja. Se identifique com os projetos de sua Igreja local.
Ame o seu pastor, as lideranças que Deus tem colocado sobre a sua vida.

5. NÃO NEGLIGENCIE NOS ESTUDOS SECULARES

Estude e estude muito. Há um conceito errado que têm se formado no meio de jovens cristãos, que Jesus está voltando e por isso não se precisa de ensinos seculares somente os que a Bíblia ensina. Muitos jovens abandonam os estudos para ir para Seminário. Eu creio que esta não é a vontade de Deus. Todas as coisas têm o seu tempo certo. Há um tempo de estudar e se preparar e usar a própria profissão no futuro em função do Reino de Deus.

Moças e rapazes se envolvem emocionalmente em namoros e antes do termino dos estudos resolvem se casar. Comprovadamente é um transtorno, pois não estão preparados ainda para este tipo de desafio. Se a pessoa que você está namorando te respeita e te ama verdadeiramente saberá esperar o tempo certo.

6. NAMORO É COMPROMISSO

Nada de ficar. Respeite você próprio. Respeite o seu corpo. Sua família. Estes relacionamentos de paixão, superficial e ligeiro trocando de parceiro sempre que se tem vontade pode trazer sérios problemas de desvio emocional e de afirmação em sua vida, além de trazer conseqüências terríveis na formação de caráter. A sua auto-imagem com certeza vai ficar comprometida. No futuro, quando você estiver por dentro de casamento precisará afirmar-se e você pode ter problemas de relacionamento com seu marido ou esposa. Além de tudo isso deve ser terrível, passar a ter sentimentos de rejeição e de frustração, quando você for alvo de piadas, comentários e fofocas feitas por pessoas do seu relacionamento.

Se pretenderem se casar, antes analisem bem a situação financeira. Há um ditado que diz: “Quem casa quer casa” A Bíblia diz: “Portanto deixará o homem a seu pai e a sua mãe e unir-se-á à sua mulher e serão os dois uma só carne”. (Gn. 2:24)

Este negócio de casar e morar com os pais não funciona, por melhor que eles sejam. Quando você faz isto, quebra-se um princípio da Palavra. Você deve deixar a casa paterna e este Deixar significa em todos os sentidos: Financeiro, geográfico, emocional, íntimo, etc. Isto não quer dizer que você deixará de amar, de honrar os seus pais. Apenas se afastarão para a formação de uma nova família e a farão com a benção deles.

Por parte dos pais deve haver esta compreensão, ou seja, o de liberar os filhos para serem felizes. A função dos pais após o casamento dos filhos é de intercessão, é estar presente quando convocado pelos filhos. Estarão sempre prontos para oferecerem conselhos com discernimento e sabedoria.

domingo, 26 de dezembro de 2010

Intimidade sexual no casamento

“A INTIMIDADE SEXUAL É LIMITADA AO MATRIMÔNIO. SOMENTE NESTA CONDIÇÃO ELA É ACEITA E ABENÇOADA POR DEUS. MEDIANTE O CASAMENTO, MARIDO E MULHER TORNAM-SE UMA SÓ CARNE, SEGUNDO A VONTADE DE DEUS. OS PRAZERES FÍSICOS E EMOCIONAIS NORMAIS, DECORRENTES DO RELACIONAMENTO CONJUGAL FIEL, SÃO ORDENADOS POR DEUS E POR ELE HONRADOS”.

UMA SÓ CARNE
Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e eles se tornarão uma só carne.
Gêneses 2. 24 Deus presenteou Adão e Eva com o matrimônio. Eles foram criados perfeitos um para o outro. O casamento não foi uma conveniência, tampouco foi criado por qualquer cultura. Ele foi instituído por Deus e possui três aspectos básicos: (1) o homem deixa seus pais e, em ato público, promete-se a si mesmo à sua esposa; (2) o homem e a mulher são unidos, assumindo responsabilidades pelo bem-estar mútuo e amando um ao outro antes das outras pessoas; (3) ambos tornam-se um na intimidade e no comprometimento de união sexual que são reservados para o casamento. Casamentos sólidos incluem estes três aspectos.

MANTENHA O LEITO CONJUGAL PURO
Digno de honra entre todos seja o matrimônio, bem como o leito sem mácula; porque Deus julgará os impuros e adúlteros.
Hebreus 13. 4
Respeitar o casamento, seus votos sagrados e sua intimidade física é um outro aspecto da vida santificada à qual Deus chama o seu povo. O “leito sem mácula” é um eufemismo para a intimidade e as relações sexuais entre o marido e a esposa. Ao contrário do estilo de vida sexualmente promíscuo do mundo, o alto padrão de Deus para a sexualidade humana consiste na pureza e na fidelidade. A união e a intimidade sexual são reservadas para o casamento, e Deus as considera como honradas e puras. A intrusão sexual de uma terceira pessoa na relação do casamento a contamina, e é condenada por Deus.
A fim de prevenir-se contra a imoralidade sexual, Deus ordenou o sagrado relacionamento do matrimônio. SEM MÁCULA contém mais do que uma aprovação do relacionamento conjugal, mas também vincula a responsabilidade do casal de preservar sua intimidade das práticas perversas e degradantes de uma sociedade lasciva.

DESFRUTE DA INTIMIDADE SEXUAL
O marido deve cumprir os seus deveres conjugais para com a sua mulher, e da mesma forma a mulher para com o seu marido. - A mulher não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim o marido. Da mesma forma, o marido não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim a mulher. – Não se recusem um ao outro, exceto por mútuo consentimento e durante certo tempo, para se dedicarem à oração. Depois, unam-se de novo, para que Satanás não os tente por não terem domínio próprio.
I Coríntios 7. 3 a 5
Estes são versículos notáveis porquanto revelam pontos de vista que parecem estar muito adiantados para o seu tempo: uma saudável percepção da sexualidade da mulher, e a compreensão da completa igualdade existente entre um homem e uma mulher, na área mais íntima de seu relacionamento. As Escrituras não dão qualquer apoio à noção de que as relações sexuais visam unicamente o aprazimento do marido.
A relação sexual é uma expressão íntima de afeição entre marido e esposa. O apóstolo sublinha sua importância no casamento declarando aquilo que, na verdade, é um dever: o marido deve estar disponível para sua esposa quando ela desejar, e a esposa, para seu esposo quando ele desejar.
Dentro do casamento, a união sexual é natural, saudável e prazerosa, não somente durante um momento, mas durante toda a vida conjunta.

O LIVRO DE CANTARES
Cantares é uma canção de amor que honra o matrimônio. As alusões mais explícitas sobre sexo na Bíblia podem ser encontradas neste livro, que, muitas vezes, tem sido criticado por causa da linguagem sensual empregada pelo escritor. Contudo, a pureza e a santidade do amor representado nele são muito necessárias nos dias de hoje, nos quais o amor, o sexo e o casamento são banalizados. Deus criou o sexo e a intimidade; mas para serem desfrutados dentro do casamento. Um marido e uma esposa honram a Deus quando se amam e desfrutam um do outro

AME E SEJA FELIZ
Beije-me ele com os beijos da sua boca; porque melhor é o seu amor do que o vinho.
Cantares 1. 2
Essa vívida descrição de um relacionamento amoroso começa com a figura do próprio amor, que é “melhor do que o vinho”; faz com que aqueles que se amam sejam felizes. O texto em Atos 10. 9-16 nos ensina que não devemos interpretar mal ou chamar de comum aquilo que Deus criou e purificou. Podemos desfrutar o amor. Deus o criou como um presente para nós e um deleite para todos os nossos sentidos.

TENHA TEMPO PARA SEU CÔNJUGE
Aparecem flores na terra, e chegou o tempo de cantar; já se ouve em nossa terra o arrulhar dos pombos. - A figueira produz os primeiros frutos; as vinhas florescem e espalham sua fragrância. Levante-se, venha, minha querida; minha bela, venha comigo.
Cantares 2. 12 e 13
Aqueles que se amam celebram sua alegria na criação e em seu amor. Deus criou o mundo, a beleza da natureza, presenteou-nos com o amor e o sexo e nos deu os sentidos para que desfrutemos deles. Nunca deixe os problemas, os conflitos ou as assolações do tempo arruinarem sua capacidade de alegrar-se com os presentes de Deus. Tenha tempo para desfrutar aquilo que Deus criou.

PERTENCER E SER DESEJADA
Eu pertenço ao meu amado, e ele me deseja.
Cantares 7.10 (nvi) Ver 7 a 13
Quando o relacionamento amadurece, deve haver mais amor e liberdade entre os cônjuges. Aqui, vemos que a jovem tomou a iniciativa de convidar seu esposo para o amor. Muitas culturas têm estereótipos sobre o papel que o homem e a mulher devem desempenhar no ato sexual. Porém a segurança do verdadeiro amor dá a ambos os cônjuges a liberdade de tomar a iniciativa de exprimir seus sentimentos e desejos.

PERTENCER UM AO OUTRO
Eu sou do meu amado, e o meu amado é meu.
Cantares 6.3a
O amor que os dois enamorados têm um pelo outro é genuíno e fiel. Não há desejo nem espaço para outra pessoa. No casamento, deve haver tal amor mútuo e dedicação, que a fidelidade conjugal seja da máxima importância na vida do casal.

ELOGIE SEMPRE O SEU CÔNJUGE
Tu és toda formosa, querida minha, e em ti não há defeito.
O seu falar é muitíssimo doce; sim, ele é totalmente desejável. Tal é o meu amado, tal, o meu esposo, ó filhas de Jerusalém
Cantares 4. 7 e 5. 16; ver 4.1 a 7 e 5.10 a 16
Como espectadores, é possível que fiquemos embaraçados ao ler estas passagens em que os amantes expõem sua intimidade. No êxtase de seu amor, eles se elogiam mutuamente, usando belas imagens. Suas palavras podem ser estranhas para os leitores de uma cultura diferente, porém o intenso sentimento de amor e de admiração são universais. Comunicá-los através de palavras e ações fortalecem qualquer relacionamento.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Melhor é serem dois do que um


Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho. Porque se caírem, um levanta o companheiro; ai, porém, do que estiver só; pois, caindo, não haverá quem o levante. Também, se dois dormirem juntos, eles se aquentarão; mas um só como se aquentará? Se alguém quiser prevalecer contra um, os dois lhe resistirão; o cordão de três dobras não se rebenta com facilidade. Salomão, filho de Davi, foi considerado por Deus, o homem mais sábio de todos os tempos. Este, além de seus feitos, escreveu diversas crônicas, poesias e provérbios que volta e meia utilizamos em nosso dia a dia, muitas vezes sem percebermos.

O Capítulo 4 de Eclesiastes nos versos de 9 a 12 serve-nos de exemplo, quando vemos Salomão nos falar do valor de um relacionamento amigável entre duas pessoas que tem propósitos e alvos definidos. Quando olho para este texto me pergunto. Por que ele não é realidade na vida de muitos casais? O que estamos, na verdade presenciando em nossos dias, é justamente o oposto deste provérbio proferido por Salomão. Veja bem: Salomão nos diz: “Melhor é serem dois do que um” O casal precisa ser unido de fato e verdade. No casamento existe uma aliança, um elo, um compromisso, uma cumplicidade que envolve amor, companheirismo, dedicação, prazer sexual, lealdade, honestidade, fidelidade, amizade, etc. São duas vidas que se fundem numa só.

Uma só carne.
É impressionante o pensamento de alguns homens ou mulheres que acham que depois de casados podem ainda continuar com a mesma vida que tinham, quando estavam solteiros. Tentam manter a todo custo as velhas amizades, criando uma série de contratempos para com seu cônjuge. Esta atitude de liberdade do parceiro, com certeza traz abalos, e terríveis terremotos no relacionamento do casal quando partem para os exageros. A solidão e o descaso são os primeiros sinais, de que algumas coisas não estão bem. De fato, os dois precisam estar juntos, cada qual levando a carga do outro. Assim fazendo, o peso será menor. Se um cair, o outro pode levantá-lo. No tempo do frio, a Bíblia diz que se aquentarão.

Dois são mais fortes do que um
Quando as lutas vierem, quando os filhos adoecerem, quando o desemprego bater na porta, quando a saudade da casa paterna chegar ao coração, principalmente nos primeiros meses de casados. Dois são melhores do que um por que: Irão resistir mais facilmente as tormentas da vida. Irão compartilhar melhor as alegrias e tristezas e com certeza serão fortes e provaram das benções de Deus sobre as suas vidas. A Bíblia neste texto de Salomão faz também referencia ao cordão de três dobras que não se quebra, não se arrebenta facilmente. De fato, a terceira dobra, para que não sabe é a presença de Jesus Cristo solidificando uma relação a três. Um lar onde Jesus é Senhor não se arrebenta, não é destruído, não existe separação de corpos, não existe divórcio. Jesus é o elo maior, é a dobra maior que segura os relacionamentos mais difíceis e complicados. O cordão de três dobras é feito de um material resistente.

Não é feito de linha ou barbante.
É um cordão feito com fios resistentes até mesmo a prova do tempo. Neste cordão, o Poder de Jesus está presente. Nos fios deste cordão o Sangue de Jesus é passado todos os dias e, por conseguinte nada poderá destruir este relacionamento. Para refletir Amigo(a) Como está o seu relacionamento conjugal? Está por fio, como dizem por aí? Seu casamento está solidificado ou não com a presença de Jesus Cristo? Talvez você esteja vivendo uma realidade difícil em seu relacionamento conjugal e familiar. Quem sabe você está vendo o seu casamento se desmanchado dia pós dia. Talvez o fio que tem ligado vocês não é um cordão com três dobras e, por conseguinte resistente.

Vamos por as coisas em ordem?

Os momentos difíceis sempre vão existir e serão um desafio para a caminhada a dois...

Existe algo mais compensador neste mundo que ter um lar acolhedor para voltar depois de um dia de intenso trabalho? Há algo mais confortante que poder contar com os braços acolhedores do cônjuge quando passamos por momentos difíceis? Que bálsamos são as palavras firmes e carinhos que recebemos e que prazer maravilhoso poder compartilhar tudo isso num ambiente de paz.


A família é um projeto de Deus. Por mais que o mundo tente desonrá-la, ela sempre será a célula-mater de qualquer sociedade. Uma nação forte é composta por famílias fortes; uma igreja forte é, também, constituída por famílias fortes; cidadãos fortes são membros de famílias fortes.


Mesmo que você não esteja vivendo esta realidade, ainda sim, isso pode ser um sonho concretizado na sua vida. Como? Buscando em que criou o casamento – Deus. A Bíblia enfatiza que o “cordão de três dobras não se rompe com facilidade” (Ec 4.12b). Com o passar dos anos, muitos casais se acomodam e deixam de reconhecer Deus como o centro de tudo em suas vidas. Buscar em Deus as respostas para as dificuldades do casamento é garantia de um matrimônio bem-sucedido.


E por falar em momentos difíceis... Eles sempre vão existir e serão um desafio para a caminhada a dois. Ausência de dificuldades, não é sinônimo de paz dentro do lar. A tranquilidade do lar dependerá da maneira pela qual você enfrenta cada problema. Situações mal resolvidas, traz sérios resultados: falta de comunicação, desunião, desinteresse um pelo outro, culminando, muitas vezes, no divórcio.


Não sei como está o seu casamento. Se você e seu cônjuge não têm Deus como o centro de tudo. Se nem à igreja vocês estão indo mais.


Quem sabe nos últimos anos o seu lar não tem sido mais o aconchego do seu cônjuge; em vez de ir para a casa, o seu cônjuge tem procurado outros lugares para se aconhegar...


Não sei se o seu casamento tem oscilado entre altos e baixos, e se os momentos ruins têm prevalecido em sua relação conjugal.


Quem sabe você está querendo dar uma de Deus, pensando que pode decidir tudo e, com isso, tomando decisões precipitadas como as de ajuntar seus pertences, colocá-los em uma mala e abandonar o seu lar. Pondo um ponto final onde Deus havia colocado uma vírgula...


Já está mais do que na hora de por as coisas em ordem dentro do seu lar! Comece, primeiramente, convidando o Senhor para fazer parte de sua família novamente. Coloque Deus a par de todos os seus problemas. Talvez você irá me questionar: “Mas ele já não sabe?”. Sim, claro. Mas ele quer ouvir a sua voz, quer manter novamente aquele diálogo que tinha com você. E que, com o tempo, se perdeu...


Depois, comece a trabalhar melhor com os conflitos que possam surgir. Não deixe que eles virem uma “bola de neve”. Por isso, pare, pense, saiba ouvir e falar na hora certa; escolha também a hora adequada para conversar, pois assim está escrito: “O homem se alegra em dar resposta adequada, e a palavra a seu tempo quão boa é!” (Pv 15.23). Não comece a levantar a voz e a querer resolver as coisas no grito, isso só vai gerar mais confusão ou ocasionar o término da conversa por parte de um dos cônjuges.


Saiba também identificar a sua parcela de culpa nos problemas. Muitos só querem que o outro conserte, mas não querem assumir os seus erros e a parcela de contribuição no desgaste do relacionamento. Reconhecer os erros pode ser a “chave” para que as mudanças comecem a acontecer em seu lar.


Deus sonda e conhece o seu coração neste momento – “Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos.” (Sl 139.23).


Talvez, hoje, a palavra que mais vem à sua mente é a desilusão, acompanhada do desânimo para continuar a lutar. Mas que neste dia você possa se levantar e dizer como Jó: “Porque eu sei que o meu Redentor vive, e que por fim se levantará sobre a terra.” (Jó 19.25).


Creia que Deus se levantará, em nome de Jesus, sobre o seu lar, pois ele vive e pode transformar qualquer situação difícil em bonança. Então, levante-se e comece a por em ordem a sua casa tanto espiritual quanto física.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Uma esposa inesquecível, um marido desejável

Tenho pensado sobre o relacionamento conjugal, e vejo que uma das formas de você cuidar da continuidade de um casamento, de maneira que tenha vida, alegria e desejo , é aprendendo o caminho da paixão. Um casal apaixonado dificilmente trai, se perdoa com mais facilidade e não guarda rancores. A grande queixa dos maridos é a frustração sexual com a esposa, seja pela carência de encontros de amor, seja pela má qualidade desses encontros. Para as mulheres, é a falta de afeto por parte deles. Elas dizem que eles só são carinhosos quando querem sexo e elas se ressentem disso, acabam se sentindo usadas. A paixão é um remédio que pode atender a ambos, pois um casal apaixonado transa mais e melhor e os carinhos são mais constantes. Lendo os livros de Salomão você descobre que ele foi um homem de muitas mulheres, mas houve uma mulher na vida dele que superou a todas, foi o seu grande amor.Ele conta a história desta ”mulher maravilha” no Livro de Cantares, de fato, uma mulher irresistível. Ela declara o seu amo , busca seus abraços e seus beijos, elogia-o em suas virtudes, manifesta sua sede por ele. Ela se arruma , se perfuma, sonha quando ele está distante. Há um momento em que eles se desentendem e ela arrependida vai à procura dele e diz às pessoas que está enferma de amor e aí alguém lhe questiona, “mas o que tem este homem de tão especial assim, o que ele tem que outro homem não tenha?” Então ela o descreve fisicamente debaixo de muitos elogios e ao final explica-lhes: “olha , ele é totalmente desejável, ele é tudo de bom, ele é belo por dentro e por fora” . Ela é do tipo mulher fatal, o agarra e o beija. E tudo isto lhe é retribuído pelo seu amado, tanto em palavras como em gestos de ternura. Ela é romântica e sexualmente ativa, tem iniciativa, prepara uma noite de amor com seu amado. Um dia um marido reclamou que percebeu que quando estava fazendo amor com sua esposa, viu que ela assistia televisão enquanto transavam, e foi o fim daquele encontro.


Seria muito bom para o casamento, se as mulheres cristãs soubessem a importância do sexo na vida de seus maridos, e fizessem disso uma prioridade . Seria muito bom também, se os homens fossem mais afetuosos com suas esposas, pois assim, estariam constantemente apaixonados e o relacionamento em segurança. A maioria dos aconselhamentos giram em torno desses dois temas: sexo ruim e falta de afeto.Os homens precisam aprender a ser carinhosos e as mulheres precisam ser sexualmente agradáveis, assim como a Sulamita do Livro de Cantares, ela mesmo diz isto: “O nosso leito é viçoso”, ou seja, tem vida na nossa cama. Alguns casais distorcendo os ensinos bíblicos tornam a vida sexual monótona, desestimulante e quando tratam do assunto dizem que o leito deve ser sem mácula,e é verdade, deve ser sem mácula (adultério), mas não pode ser sem vida. E pensar que Salomão inspirado por Deus fala disso em Provérbios no capitulo 5 onde diz para os homens tomarem cuidado com a mulher estranha (prostitutas) e que bebam de suas próprias fontes de prazer e mais, que usufruam bem dessa benção que é a capacidade sexual.


Os homens em geral eles dão amor quando querem ou recebem sexo e as mulheres dão um sexo melhor quando recebem amor, então , é uma questão de ajuste. Como os homens não gostam de tratar deste assunto, poucos lêem sobre isto, então, resta desafiar as mulheres para que pensem nisso e comecem a mudança, a partir delas mesmas.

            Volte a namorar, se apaixone e proteja o seu casamento. ;D

Momentos de intimidade do casal devem ser preservados


A intimidade do casal deve ser tratada como algo “sagrado”,"intocável",tão importante que nada pode ameaçá-la ou perturbá-la.

O lugar mais comum onde o casal se encontra para suas intimidades é dentro de sua própria casa, e é exatamente dentro de casa onde a luta contra os inimigos deve acontecer.

Os filhos pequenos são os maiores concorrentes da intimidade, quando não , o telefone que não dá sossego, a novela, o futebol do marido, e assim o tempo passa e o casal vai se acomodando nessa rotina doentia, onde a intimidade vem sempre em segundo plano.

É comum casais que depois de priorizarem tantas outras coisas já não têm mais energia para a intimidade, o que restou de si mesmo não é suficiente para um tempo curtindo um ao outro.

O casal que não preserva o seu momento a sós, a sua intimidade, em algum momento isso vai se manifestar como uma doença no relacionamento.

Precisamos entender que o casal vem antes de tudo. O casal vem antes dos filhos, o casal vem antes das coisas.

Por ser a intimidade tão importante, uma questão de saúde relacional, que nós devemos lutar contra tudo e contra todos que ameaçam o nosso tempo de intimidade conjugal.

Mais isso, sabemos que não é fácil, mas tem que ser conquistado e preservada essa conquista.

No caso dos filhos pequenos é colocar horário certo para irem para a cama. É obvio que em alguns casos, vai haver choro e protesto, mas mantenha posição firme, que você vai vencer essa barreira, é preciso ser radical com isso.

Os filhos não podem ficar dormindo com os pais, não. Eles têm que ter o seu quarto, a sua cama, e horário para se recolherem.

No caso de filhos adolescentes, às vezes ficamos preocupados pelo fato de eles estarem acordados, mas é besteira da gente, eles precisam saber que o pai e a mãe deles têm vida íntima e valorizam isso.

Se recolham mais cedo, fechem a porta do quarto e pronto. O fato de eles verem você dois tendo essa rotina boa de se trancarem no seu quarto, será um bom ensinamento para eles.

Quanto às demais coisas, é questão de priorizar, às vezes é o caso de desligar tudo que possa incomodar como TV, Internet, celular, e etc. É ordenar a agenda de tal maneira que a intimidade do casal seja garantida.

Se a gente não fizer do tempo de intimidade, uma prioridade, então, logo, logo, vamos ter problemas por causa disso.

O bate papo, a conversa boa, as amenidades, o riso juntos, tudo isso gera saúde emocional. O sexo é algo que pode acontecer ou não, se ele acontecer será o coroamento daquele instante, mas de qualquer forma não é um imperativo.

Valorizar o tempo de intimidade é valorizar o outro, é dizer que ele é importante, é dizer que você quer ouvi-lo, quer estar com ele.

Conta-se de uma experiência feita em laboratório para fins de se conhecer a necessidade de relacionamento do ser humano, então pegaram três coelhos em três gaiolas distintas, o primeiro recebeu como companheiro de gaiola uma coelha de sua espécie, o segundo recebeu um coelho de pelúcia e um terceiro permaneceu solitário. O tempo passou e o primeiro coelho a morrer foi o que estava solitário, o segundo coelho a morrer foi o que estava com o coelho sem vida (pelúcia) e o último coelho a falecer foi o que tinha uma companheira. Isso nos dá uma mostra da importância do relacionamento. Até os animais sabem disso, enquanto o ser humano parece estar se esquecendo.

As pessoas hoje, passam horas na internet, no MSN, mantendo conversas muitas vezes superficiais, outras v
ezes mentirosas e desprezam um manancial de relacionamentos que é o seu cônjuge.

Em qual gaiola nós estamos? Na gaiola da solidão, na gaiola com um cônjuge de pelúcia (sem vida) ou na gaiola onde há relacionamento?

É tempo de voltar atrás e se relacionar melhor. É tempo de cura. É Tempo de saúde no relacionamento.

No livro de Cantares, os amantes dizem: “ O meu amado é meu e eu sou dele”. Que assim seja com você também.


Idéias para um casamento feliz

1. Protejam seu dia livre a todo custo e passem-no juntos como casal e como família.


Se uma emergência torna impossível que passem juntos o tempo habitual planejado, estabeleçam, de imediato, outro dia. Nada é mais importante que o tempo que passam juntos!

2. Jantem juntos.


Mesmo que tenham uma comida simples, transformem isso em uma ocasião especial acendendo velas e desligando a televisão. A conversa durante o jantar é para compartilhar e evocar recordações. Os assuntos de rotina podem ser comentados em outra hora.

3. Deitem-se ao mesmo tempo.


Nada debilita a intimidade com maior rapidez do que se deitar em horários diferentes. Esse é também um momento para compartilhar e pôr-se em contato. É uma oportunidade para assegurarem-se de que o atarefado programa de trabalho não os tem separado. Sem esses momentos reservados para dedicarem-se à intimidade, poderiam perder o contato nas pressões da vida.

4. Não guardem rancor.


Se insistirem em guardar as ofensas do passado, envelhecerão prematuramente e destruirão qualquer oportunidade que puderem ter para desfrutar o presente. Todos, alguns mais que outros, são ofendidos por pessoas muito queridas. Mas a única esperança para o casamento está na capacidade de perdoar e esquecer. Não permitam que as ofensas sofridas no passado roubem o gozo do presente.


5. Não tirem férias separados.


As experiências compartilhadas unem firmemente, enquanto que as experiências separadas distanciam um do outro. O tempo é um dos recursos mais valiosos no casamento. Não o gastem insensatamente.

6. Não permitam que nada prive seu casamento do gozo sexual que Deus propõe que tenhamos.


O sexo é um dom de Deus que deve ser desfrutado dentro dos vínculos sagrados do casamento. Foi dado como um meio de expressar amor e de proporcionar prazer, bem como com a finalidade de procriação. Assim como a verdadeira intimidade é mais que sexo, tampouco é menos que isso.


7. Orem juntos.


Nada é mais íntimo que a relação de um indivíduo com Deus. Ao convidar a esposa a compartilhar essa experiência, você lhe está abrindo a parte mais profunda de seu ser. No princípio poderão sentir-se ameaçados, mas as recompensas justificam esse esforço.

8. Brinquem juntos.


 “Nem todos os casais felizes são iguais, de modo que não existe um teste para determinar um bom casamento. Mas se estudarmos os casais sistematicamente ao longo do tempo, é evidente que muitos deles partilham uma característica que denota com freqüência uma união florescente. Não é algo tão evidente como uma relação sexual satisfatória, ou interesses compartilhados, ou o hábito de analisar desapaixonadamente as brigas conjugais. Melhor dizendo, é a capacidade de se manifestar uma natureza brincalhona que transcende a diversão e reflete muito mais do que a capacidade de divertir-se juntos. Apelidos secretos, humor compartilhado, simulação de lutas, isso tudo pode parecer uma série de atividades insulsas, mas, no entanto, podem facilitar ou suavizar transações mais complexas e importantes, mas, potencialmente, dolorosas e até destrutivas.”

9. As pequenas coisas significam muito.


Com efeito, podem estabelecer a diferença entre um casamento medíocre e um casamento realmente bom. Geralmente, não são os presentes caros e nem as férias no exterior que determinam a qualidade de uma relação conjugal, senão as coisas pequenas. Uma mensagem de amor num bilhete deixado em seu escritório, ou um lindo cartão com pensamentos românticos para ela. Uma expressão bondosa, ajudar no cuidado das crianças, escutar com atenção, dá a sensação de que ele ou ela se preocupa com o outro.

10. Prometam-se mutuamente, não só fidelidade física mas, também, fidelidade emocional.


As necessidades emocionais dos cônjuges devem ser satisfeitas somente no casamento. Não permitam que os amigos, a família ou a carreira satisfaçam essas “necessidades pessoais”. Elas devem ser providas mutuamente e são a fortaleza da relação interpessoal.

45 atitudes para a edificação do casal

1. Eu quero surpreender meu marido ou minha esposa com mais freqüência – dentro e fora do quarto.
2. Eu vou me livrar da televisão do meu quarto ou, pelo menos, não ligá-la quando estivermos na cama.
3. Eu vou lembrar de tomar banho a dois (e não reclamar, dizendo que estou perdendo tempo ao compartilhar)
4. Eu vou aprender a fazer jantares à luz de vela.
5. Vou instituir “o beijo de boa-noite”
6. Vou aprender a beijar meu marido, antes de beijar meu gato, quando entrar em casa.
7. Tentarei pensar mais nele/nela do que em mim.
8. Ser honesta com meu cônjuge.  
9. Começar a me amar, com os defeitos e tudo!
10. Parar de importunar meu cônjuge quando ele quiser ficar sozinho. Eu sei que ele precisa de espaço. Vou também parar de achar que tudo que ele faz é um sinal de que algo está errado na nossa relação.
11. Comunicar-me honesta e abertamente com meu cônjuge (e discutir as compras, antes de efetuá-las!)
12. Eu me recuso a ficar amarga e sozinha, então, eu decido que vou sair, pelo menos, uma vez por semana, com o propósito fundamental de conhecer novas pessoas que possam me edificar espiritualmente.
13. Demonstrar mais afeição e me divertir pra valer!
14. Passar mais tempo juntos: só nós dois! –
15. Falar “eu te amo” ¨mais vezes.
16. Ao invés de fugir do amor verdadeiro, vou dar uma chance ao compromisso
17. Eu quero fazer um grande e sério esforço de sempre lembrar de ouvir. Às vezes, me empolgo tanto ao me expressar que esqueço de ouvir.
18. Perceber quando está na hora de recuar no meio de uma briga.
19. Encontrar tempo um para o outro, não importar a situação.
20. Falar e ouvir de coração.
21. Dar as mãos quando tentarmos resolver algo difícil.
22. Relacionar-me com alguém que edifique minha vida.
23. Comprar minhas brigas.
24. Nunca dormir zangada.
25. Lembrar que as férias são um ótimo período para agradecermos por tudo que temos e não para nos lamuriarmos pelo que não podemos ter.
26. Não vou mais usar joguinhos sentimentais – se sentir vontade de telefonar pra ele, eu vou.
27. Mostrar a ele/ela meu melhor lado, não o pior.
28. Aprender a dar e saber receber apropriadamente.
29. Não ligar para os pequenos pontos negativos e, ao invés disto, concentrar-me nos positivos.
30. Aprender a elogiar.
31. Começar a trabalhar minhas habilidades anti-stress para que eu possa relaxar minha mente e o meu corpo e, assim, tornar-me um ser humano normal, ao invés de uma pessoa tão impaciente, rabugenta e deprimente o tempo todo.
32. Fortalecer minha relação com meu cônjuge, passando com ele mais tempo com qualidade.
33. Sempre me comunicar com as pessoas importantes da minha vida, elogiando, demonstrando o meu apreço, mostrando os problemas. Afinal de contas, ninguém lê a nossa mente.
34. Beijar meu marido todos os dias, toda vez que ele sair de casa. Nunca sabemos quando Deus vai chamar alguém.
35. Vou passar, pelo menos, uma noite sem televisão com meu cônjuge.
36. Beijar meu cônjuge todas as noites, quando ele chegar em casa. É uma ótima maneira de começar nossa noite, sem importar como tenha sido o dia dele.
37. Passear com minha esposa pelo menos de 15 em 15 dias.
38. Pensar em alguma coisa, todos os dias, que me faça grata por ter meu marido. É a maneira infalível de eu me lembrar como ele é especial.
39. Passar mais tempo de qualidade com meu maridinho ou esposinha, mesmo que seja só compartilhar uma noite tranqüila em casa, com um delicioso jantar, música suave ou um bom filme.
40. Vou sempre tentar lembrar dos bons momentos que tivemos juntos e tentar criar mais momentos desses.
41. Vou usar mais palavras simpáticas, quando falar com meu marido ou com minha esposa, e menos xingamentos!
42. Não vou ficar furiosa com meu cônjuge quando ele/ela não fizer alguma coisa que eu quero, quando eu não tiver falado explicitamente sobre o assunto com ele antes.
43. Vou dizer “por favor” e “obrigada” ao meu marido ou esposa, pelo menos, 1 vez por dia.
44. Eu vou tomar a iniciativa na cama com mais freqüência.
45. Vou tentar dizer “por favor” e “obrigada” ao meu cônjuge, mesmo que isto signifique simplesmente “obrigada por ter levado o lixo para fora”.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

A Bíblia e o celular


A BÍBLIA É A PALAVRA DE DEUS SEMEADA NO MEIO DO POVO, QUE CRESCEU,
CRESCEU E NOS TRANSFORMOU, ENSINANDO-NOS A VIVER UM MUNDO NOVO.

A BIBLIA E O CELULAR
Já imaginou o que aconteceria se tratássemos a bíblia do jeito que tratamos nosso celular?
E se déssemos uma olhada nela várias vezes ao dia?
E se voltássemos para apanhá-la quando a esquecemos em casa,no escritório?
E se a usássemos para enviar mensagens a nossos amigos?
E se a tratássemos como se não pudéssemos viver sem ela?
E se déssemos de presente às crianças?
E se a usássemos quando viajamos?
E se lançássemos mão dela em caso de emergência?
Ao contrário do celular,a bíblia não fica sem sinal. Ela "pega" em qualquer lugar.
Não é preciso se preocupar com a falta de crédito porque Jesus já pagou a conta e os créditos não têm fim. E o melhor de tudo: Não cai a ligação e a carga da bateria é para toda vida.

Não deixe seu casamento murchar

É possível identificar e combater a tempo, os perigos que podem destruir uma relação feliz e enriquecedora, como a vida a dois.
Queremos destacar um desses perigos: A ROTINA.
Pouco a pouco, as emoções, fantasias e sonhos dos primeiros anos tendem a passar. Então, a realidade começa a se impor. O Príncipe Encantado e a Cinderela cedemlugar a um homem e uma mulher comuns, com virtudes e defeitos. Mas isto não deveria impedir de manterem o mesmo clima de romantismo dos primeiros tempos nem de continuarem as mesmas atenções, demosntrações de afeto, os galanteios de antes.
Onde foram parar os presentinhos inesperados, as comemorações de datas especiais, os bilhetinhos com a frase "eu te amo"? É preciso continuar usando a criatividade e a imaginação para manter acesa achama do romantismo entre o casal.

O Caráter de um Bom Casamento

Diz-se com freqüência que um bom casamento é uma "amostra do céu". O companheirismo de que um homem e uma mulher podem gozar em relação ao casamento é uma bênção imensa dada por nosso Criador (Gênesis 2:18-24). Certamente, Deus destinou o casamento a ser benéfico e satisfatório para ambos, o esposo e a esposa. Infelizmente, muitos casais não descreveriam seus casamentos como "celestiais".

Estratégias Inaproveitáveis

O que podemos fazer para termos "bons casamentos"? Homens e mulheres têm tentado várias estratégias para assegurar casamentos bem sucedidos. Muitos têm raciocinado que o modo de ter um bom casamento é casar-se com a pessoa de melhor aparência possível. Conquanto não seja pecado ser fisicamente atraente, a aparência pessoal não é garantia de que uma pessoa será uma boa companheira. O homem extremamente elegante ou a mulher impressionantemente bela com freqüência não dão bons esposos! Outros têm concluído que um casamento espetacular e uma lua-de-mel dispendiosa são o ponto de partida de um bom casamento. Contudo, estas são coisas que não duram muito tempo e quando a grandiosidade da cerimônia e a emoção da lua-de-mel passam, é comum que o esposo e a esposa descubram que sua relação não é realmente muito boa. Ainda outros têm seguido a estratégia de acumular bens antes de casar ou, em alguns casos, de procurar uma pessoa rica com quem casar! Tal segurança financeira constituirá, pensam eles, o alicerce de um bom casamento. Algumas vezes parceiros em al relação assentada sobre a riqueza material pagarão quase tudo para escapar do casamento. O resultado de tais preparativos financeiros é que há mais bens a serem divididos quando o casal se divorcia.

Deverá ser notado que não há nada inerentemente pecaminoso em ser fisicamente atraente, ter um grande casamento e uma lua-de-mel agradabilíssima ou mesmo economizar dinheiro antes do casamento com a esperança de um padrão de vida mais alto. Cada uma destas coisas pode ser uma bênção para um casamento. Nenhuma destas coisas, contudo, resulta necessariamente em um bom casamento. Se desejamos relações satisfatórias, precisamos abandonar as soluções e valores de sabedoria humana e consultar o manual de casamento escrito por Aquele que criou o casamento no princípio. Na Bíblia podemos encontrar toda a informação que precisamos para construir casamentos bem sucedidos.

Instruções Divinas

As Escrituras ensinam que o casamento é destinado a durar até que um dos cônjuges morra (Romanos 7:1-3; Marcos 10:9). Se cada parceiro mantiver esta convicção, o casamento terá uma possibilidade maior de dar certo. Quando aparecem problemas (e sempre aparecem!), tanto o esposo como a esposa empenham-se em resolvê-los em vez de procurar escapar facilmente através do divórcio.

Quando Paulo escreveu sobre as responsabilidades dos cônjuges, ele observou que as esposas deveriam ser submissas a seus esposos (Efésios 5:22-24). Ele ordenou ainda mais que os esposos deveriam amar suas esposas (Efésios 5:25-29). Este amor (na língua grega, "agape") não é de puro sentimento ou mesmo a expressão de palavras vazias, mas é antes o resultado de uma escolha moral e expressa-se em ação. Elcana, pai do profeta Samuel do Velho Testamento, evidentemente amava profundamente sua esposa Ana (1 Samuel 1:1-8). Ele expressou seu amor por ela através de sua generosidade. Além do mais, este tipo de amor busca o bem estar de outros independente do tratamento com que eles retribuem. O apóstolo Paulo descreveu o caráter deste amor em 1 Coríntios 13:4-7. As responsabilidades de amor e submissão incluem outras específicas.

Por exemplo, para amar sua esposa, o esposo tem que se comunicar com ela. Para procurar o melhor bem estar da esposa, ele precisa entender as necessidades e desejos dela. Mais uma vez, observando o exemplo de Elcana e Ana, quando ela estava triste por causa de sua esterilidade e da provocação de sua rival, Elcana procurou descobrir a causa de sua angústia (1 Samuel 1:4-5, 8). Se o esposo comunica a razão para suas decisões, torna-se muito mais fácil para a esposa submeter-se. Sem comunicação adequada entre cônjuges, é extremamente difícil, talvez impossível, ter-se um bom casamento. Comunicação franca entre esposo e esposa permite a cada um entender melhor o outro, evitando muitos desentendimentos. A participação nas opiniões, sonhos e temores através da comunicação permite uma intimidade que ajuda a unir o casal.

Honestidade

Todos os bons casamentos exigem honestidade e discrição de ambos. Tanto esposo como esposa deverão empenhar-se em sempre falar a verdade um ao outro (Efésios 4:25; Colossenses 3:9). Bons casamentos dependem da confiança e uma mentira descoberta destrói essa confiança. A esposa que descobre que seu esposo mentiu para ela em um assunto imaginará que ele no futuro estará mentindo também sobre outros assuntos . . . mesmo que ele esteja falando a verdade. Infelizmente, aqueles que praticam o engano com freqüência acreditam arrogantemente que são muito inteligentes para "serem apanhados". O mentiroso pode freqüentemente cobrir seu engano por algum tempo, mas as mentiras costumam ser descobertas. A esposa que esconde informação de seu esposo está também praticando o engano, uma forma de desonestidade. A suspeita que resulta quando o engano é descoberto ameaça a bela intimidade possível num casamento.

Discrição

Quando duas pessoas vivem juntas ainda que por curto período de tempo, elas podem aprender algumas coisas nada lisonjeiras sobre um e outro. Num bom casamento, o esposo não falará destas faltas de sua esposa com outros. Ele protegerá a reputação dela à vista dos outros, enquanto trabalhará para ajudá-la a melhorar nessas áreas. De modo semelhante, a esposa não discutirá as fraquezas de seu esposo com outras pessoas. A prática de tal discrição encorajará maior intimidade na comunicação dentro do casamento. Cada parceiro sentir-se-á bem partilhando com o outro os pensamentos mais particulares porque ele ou ela sabe que estes pensamentos não serão revelados a outros.

Fidelidade Sexual

Poucas coisas destroem um casamento mais depressa do que a infidelidade sexual. Num bom casamento, cada parceiro tem não somente de se abster de atos abertos de impureza sexual, mas não deve dar ao outro causa para suspeita. O esposo precisa evitar que seus olhos se fixem na direção de outras mulheres e a esposa tem que ser cuidadosa para que seu comportamento a respeito de outros homens seja puro (Mateus 5:27-28).

Respeito

O resumo feito por Paulo das responsabilidades do esposo e da esposa em Efésios 5:33 revela que a submissão da esposa envolve respeito ao seu esposo. Do mesmo modo, o esposo não deverá tratar sua esposa como inferior a ele porque ela voluntariamente aceitou uma posição de submissão (1 Pedro 3:7). Em vez disso, ele deverá tratá-la com dignidade e consideração. Ele não deve diminuí-la nem tratá-la com aspereza ou amargura simplesmente porque Deus lhe deu autoridade na família (Colossenses 3:19).

Altruísmo

O egoísmo está na base de um número incrível de dificuldades matrimoniais. É extremamente difícil viver com alguém que sempre pensa só em si mesmo. Cuidar de uma criança é trabalho duro porque ela não tem consideração com as necessidades e desejos dos outros. Suas necessidades precisam ser satisfeitas imediatamente ou ela fará com que seus pais saibam de sua infelicidade por meio de gritos estridentes! Como adultos, já deveremos ter ultrapassado tal egoísmo, mas infelizmente alguns esposos agem bem dessa mesma maneira. Se as coisas não são feitas como lhes serve, eles ficam trombudos ou têm ataques de cólera, muito parecidos com os das crianças que não sabem de nada melhor. A mulher virtuosa de Provérbios 31 sacrificava-se, trabalhando para prover a sua casa (Provérbios 31:10-31). Cada cônjuge [amadurecido] deverá estar querendo pôr as necessidades e desejos do outro antes do seu próprio, se necessário (Filipenses 2:4; 1 Coríntios 13:5), e os que são infantis não deveriam casar-se!

Paciência

A paciência é o lubrificante que evita que o casamento se aqueça demais quando os problemas provocam atrito entre os parceiros. Uma falta de paciência, no mais das vezes, resulta em decisões insensatas ou irritação. Tiago deu bom conselho quando escreveu "Todo homem, pois, seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar. Porque a ira do homem não produz a justiça de Deus" (Tiago 1:19-20). A paciência é aquela qualidade que permite a uma pessoa suportar com calma serenidade uma situação que não é ideal ou desejável (longanimidade; Gálatas 5:22; Efésios 4:2; Colossenses 3:12). A impaciência é quase sempre uma forma de egoísmo na qual nos tornamos furiosos porque as coisas não estão acontecendo do modo que queremos que aconteçam. Haverá muitas ocasiões durante um casamento nas quais as coisas não serão ideais!

Humildade

Algumas pessoas não querem admitir nenhuma falha. É inevitável que um cônjuge peque contra o outro. A humildade é a qualidade que permite-nos reconhecer nossa própria falibilidade, admitir nossas faltas e pedir perdão àqueles que tivermos maltratado. A pressuposição de que sempre sabemos o que é melhor ou que nunca cometemos nenhum erro é uma forma de arrogância. Tal arrogância é oposta ao amor (1 Coríntios 13:4). Num bom casamento, ambos os parceiros servirão um ao outro fazendo muitos pequenos favores. A arrogância não permite a "atitude servil" (João 13:1-15). A humildade também ajuda a perdoar os outros que pecam contra nós, porque nos lembra que nós mesmos somos falíveis e freqüentemente necessitamos ser perdoados (Efésios 4:31-32; Colossenses 3:13). No decorrer de um casamento, haverá muitas oportunidades para perdoar seu cônjuge! Ofensas não perdoadas tendem a ser como feridas não curadas, inflamadas; elas afetam severamente a saúde da relação.


Quando alguém está procurando um bom companheiro ou simplesmente tentando melhorar uma relação conjugal existente, estes princípios ajudarão a assegurar um casamento bem sucedido. De fato, muitos desses traços característicos que promovem um casamento bem sucedido podem ser aplicados praticamente em qualquer relação humana para torná-la melhor!

Como Fazer o Casamento Dar Certo

O casamento não é um objeto a ser aceito ou uma idéia a ser admirada, é uma instituição social prática designada por Deus para satisfazer certas necessidades humanas criadas. É uma provisão de Deus, dada para abençoar e satisfazer as necessidades de suas criaturas.
Mas, se este é verdadeiramente o caso, como podemos explicar a tragédia vivente, respirando, que a maioria dos casamentos tem se tornado em nosso mundo atual. Não será por apontar para a complexidade de nosso ambiente social e econômico. O segredo de nossos fracassos no casamento não se acha em nenhum lugar fora de nossos corações e as escolhas que cada um de nós fez. Isto parece diminuir as perspectivas de melhora? Deveria fazer exatamente o oposto.
Nossa capacidade de alterar nossas circunstâncias é muito limitada, mas temos absoluto domínio sobre nossas atitudes. Podemos não ser capazes de mudar nosso ambiente, mas podemos certamente mudar nossos valores.
Há milhões de casais unidos no mundo de hoje que estão cheios de mágoa, raiva e desespero, e que não vêem solução para sua miséria além dos tribunais de divórcio. A experiência me ensina que há casamentos entre cristãos que são caracterizados por um sentimento excruciante de desesperada resignação a uma relação que não dá alegria ou bênção. A aparente infindável demanda por mais livros sobre casamento revela que uma porção desses casais infelizes, na igreja e fora dela, está procurando auxílio antes que escape. A resposta de Deus é que não há somente esperança, há absoluta esperança.
O problema do casamento em nossos tempos é um problema de pecado. Isso pode soar como simplista, mas o casamento é uma relação humana, e não há nada que possa devastar uma relação humana como o pecado. No coração do pecado está a preocupação consigo mesmo, e no coração de cada relação humana cálida, amorosa e profunda está a preocupação pelo outro. O casamento, como todos os laços sociais, não pode florescer enquanto os participantes não encontrarem um amor mais alto do que aquele que eles usualmente aspiram. O que os parceiros de casamento necessitam de modo a amar um ao outro é amar a Deus. E, se temos de amar a Deus verdadeiramente, teremos que nos arrepender de uma porção de rebelião, orgulho e egoísmo (Lucas 15:18). E como podemos amar a Deus se não amamos como ele ama, graciosamente, pacientemente, sempre preocupado com o que o amado necessita antes que com o que ele merece? Este tipo de amor não é um sentimento do coração, que vem espontâneo e não buscado, mas uma resolução moral pela qual uma pessoa determina fazer o bem a outros não importa o que eles mereçam ou como se comportam conosco.
O maior manual de casamento que jamais existiu é a Bíblia, não porque ela trate exclusivamente desse assunto, mas porque ela fala às necessidades dos homens pecadores e às perversas atitudes que têm destruído nossa relação com Deus e poluído nossas relações com outros, incluindo, mais tragicamente, nossos próprios parceiros no casamento. Se quisermos aproximarmo-nos de nossos esposos e esposas, então aproximemo-nos de Deus.
Os casamentos estão fracassando porque os indivíduos que estão neles estão fracassando em ser como Cristo em atitude, e que quando essas atitudes são mudadas, há muita razão para acreditar que podemos construir uma relação segura, amorosa, e maravilhosamente compensadora em nossos casamentos.
Mas, objeta-se, meu companheiro e eu perdemos toda a afeição e desejo de um pelo outro. Como se pode reacender um casamento que está morto? O amor dedicado tem o poder de fazer amigos de inimigos e amantes de estranhos (Gênesis 24:64-67). Mas, diz outro, eu sou o único que se preocupa; como pode uma pessoa reconstruir uma relação destroçada? É estranho que cristãos façam tal pergunta. Nós certamente não nos preocupamos quando Jesus continuou pacientemente amando-nos, entregando sua própria vida por amor de nós. O Senhor, obviamente, não teve sucesso com todos, mas ele teve sucesso conosco; talvez ele possa ter sucesso com nossos companheiros (conselheiros de casamento dizem que sim). Como saberemos a menos que tentemos?
O casamento dará certo maravilhosamente quando decidirmos ser o tipo de pessoa que Deus quer que sejamos. Então poderemos ter tudo isto, e o céu também.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Maridos e esposas solitarios

O isolamento de outras pessoas nem sempre é ruim. O próprio Jesus tinha o hábito de isolar-se regularmente das multidões e ficar a sós com Deus, depois de um dia de trabalho em meio às multidões. Nessas
ocasiões, ele orava e renovava suas forças. Mas, existe uma solidão maléfica, característica da sociedade em que vivemos. As pessoas podem viver numa mesma casa com muitas outras e ainda assim viver isoladas delas. Já que fomos criados como seres sociais, viver em isolamento geralmente provoca tristeza, depressão, angústia e, em casos extremos, o suicídio.
Isolamento acontece mesmo entre pessoas tão íntimas como marido e mulher. Diversas forças ativas na sociedade moderna estão separando marido e mulher cada vez mais para longe um do outro, em vez de produzir intimidade e mutualidade:
1) Numa sociedade tão complexa como a em que vivemos, experiências diferentes e sistemas de valores diferentes separam os casais. Antigamente, as pessoas nasciam e cresciam juntas num mesmo lugar. Hoje, elas vêm de passados completamente diferentes.
 2) A sociedade moderna tem passado a idéia de que o casamento é um relacionamento na base de 50/50 (fifty-fifty).Isso é, cada um dá um pouco de si. Mas isso não funciona, na verdade. O padrão cristão é 100/100. No casamento, temos de nos dar inteiramente.
3) O egoísmo é provavelmente a maior ameaça à unidade do casal. Ser egoísta é buscar realização pessoal deixando o cônjuge de fora. Uma ilusão bastante comum é que marido e mulher podem obter sucesso
independentemente um do outro e ainda ter um casamento bom. Na prática, quase nunca isso dá certo.
 4) Outro fator de isolacionismo são problemas não superados. Os pesquisadores mostram que cerca de 70% dos casais que passam por experiências traumáticas – como perder um filho num acidente, ou ter um filho gravemente deficiente – se separam ou se divorciam.
 5) A mídia tem popularizado a idéia de que aventuras extramaritais é algo normal. O fato é que, não somente o adultério consumado, mas o adultério emocional – uma amizade muito íntima com alguém do sexo oposto – provoca o isolacionamento dos cônjuges.
 6) A pressão contínua do estilo de vida acelerado em que vivemos contribui para que cada vez mais vivamos estilos de vida separados uns dos outros.
 7) Outro fator é nosso hábito de assistir TV. O problema é mais grave do que a violência mostrada na tela. Membros de uma família podem estar juntos na mesma sala assistindo TV, e estar perfeitamente isolados uns dos outros. À medida em que nos enfiamos em nossos casulos, mais e mais nos desconectamos uns dos outros. A grande maioria dos moradores das grandes cidades – mesmo cristãos - raramente conhece seus vizinhos! Todo o moderno sistema de comunicação produzido atualmente pela sociedade tende a eliminar cada vez mais o contato humano: Internet, email, chat, etc.
O isolamento é uma ameaça séria mesmo para casais cristãos. Estes cristãos precisam perceber que se não tomarem as providências necessárias e se não tratarem essa ameaça juntos, acabarão por viver isolados uns dos outros, mesmo debaixo do mesmo teto. Muitos casais casados têm sexo mas não amor. O erro típico que muitos casais cometem é não antecipar que problemas desse tipo podem ocorrer com eles. E
quando os problemas surgem, são apanhados desprevenidos.
Vivemos num mundo cheio de problemas. A tentação de muitos, debaixo de pressão, é isolar-se, hibernar como um urso em sua caverna no inverno. Embora essa pareça uma alternativa atraente, é somente com o
apoio de amigos que poderemos suportar as misérias desta vida. Fiquei impressionado com o que aconteceu recentemente no Japão, quando três empresários japoneses falidos enforcaram-se juntos no mesmo quarto de hotel. Numa sociedade individualista como a nossa, suicídios não acontecem assim! Mas se os japoneses conseguem ser solidários até na morte, será que não podemos aprender, na vida, a compartilhar nossa
existência e experiências com outros? O que podemos fazer, como cristãos, para vencer o isolamento? Aqui
vão algumas dicas:
 1) Busque maior intimidade com Deus, pela leitura daBíblia e pela oração diária. Quando nos aproximamos de Deus, podemos melhor nos aproximar dos outros.
2) Planeje gastar tempo com seu cônjuge fazendo coisas que ambos apreciam.
3) As vezes o isolamento foi causado por uma atitude errada sua, com a qual o seu cônjuge ofendeu-se
ou magoou-se. É preciso pedir perdão e buscar a reconciliação.
 4) Às vezes quando a situação já se tornou muito complicada e difícil, é preciso procurar ajuda espiritual e psicológica. Pastores e psicólogos cristãos são geralmente treinados para oferecer apoio e soluções para
casos assim.

Não permita que o isolamento acabe a alegria do seu casamento. Casados também podem ser felizes juntos!

Como manter um casamento cristão

Quando Deus oficiou o casamento de nossos primeiros pais, Adão e Eva, estabeleceu um plano para todos os casais. Gênesis 2:24 conta: “… deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne.” A união do casamento seria a mais íntima de todas as relações humanas. Por ela, marido e mulher se tornam uma só carne. “Porque ninguém”, argumenta Paulo, “jamais odiou a sua própria carne, antes a alimenta e dela cuida”. E , escreveu mais: “Quem ama a sua esposa, a si mesmo se ama” (Efésios 5:28 e 29).
O casamento é uma união de amor. Foi instituído para satisfazer o profundo anelo implantado na alma pelo Deus de amor – o desejo de dar e receber amor.
O amor é oposto ao egoísmo. O egoísmo pensa em si mesmo, busca os seus próprios interesses, busca só receber. Infelizmente muitos casam por motivos egoístas: querem só a sua vontade e o seu prazer satisfeitos. Por isso, casamentos desse tipo nunca são felizes e acabam rapidamente.
O amor conjugal deve ser nutrido, fortalecido. Ele deve crescer sempre. A sua chama deve se tornar cada vez mais viva. E isto não vem por acaso. Requer planejamento, requer esforço – incessante esforço através da vida íntima. Alguém disse acertadamente que a vida conjugal é uma escola na qual nunca nos graduamos.
No programa de hoje quero apresentar algumas dicas para manter o casamento. A primeira delas é o reconhecimento de cada um dos cônjuges no lar. No plano de Deus o marido é o chefe da família. Deve ser honrado como tal pela esposa e pelos filhos. Mas a esposa é a rainha do lar. E deve estar ao lado do marido na direção do lar.
Uma segunda dica para manter o casamento é a fidelidade mútua. O casamento é uma união sagrada e requer estrita fidelidade do marido à mulher, e da esposa ao marido. A ordem é clara: “Não adulterarás” (Êxodo 20:14). Essa total dedicação de um ao outro gera confiança e nutre o amor. Inversamente, a infidelidade, seja do homem, seja da mulher, suscita ciúme, ressentimento.
Já a terceira dica é o esforço de adaptação mútua. Passados os primeiros dias após o casamento, e iniciada a vida real, começam a aparecer as fraquezas de ambos. O marido vê na mulher pontos negativos com que talvez não sonhasse; e a esposa também vê no marido defeitos que não imaginava… Aí é preciso compreensão, apoio e a busca para valorizar as qualidades, ajudando na superação dos pontos negativos.
A quarta dica para manter o casamento é a expressão do amor. Na vida conjugal o amor deve ser expresso por palavras – palavras de apreço pelos esforços do marido, da mulher; palavras em que o amor mútuo é assegurado. Alguns pensam que o companheiro da vida sabe que é amado e não é preciso dizer para o outro. Outros julgam que a expressão de amor é uma demonstração de fraqueza.
O amor deve ser expresso por atos, aliviando cada qual o dardo do outro. As primeiras atenções, dispensadas com tão grande satisfação na fase do namoro e noivado, deveriam continuar após o casamento. Se a noiva ou namorada merecia atenção, muito mais digna disso é a esposa.
Um presente de vez em quando é uma demonstração de amor correspondido pelo outro lado com um afeto mais profundo. Nisso não é necessário gastar o salário do mês. Até uma bonita flor, se dada com sinceridade, produz o seu efeito. Alguém disse que o amor da esposa floresce como uma flor. E o tempo de fazer isso é enquanto ela vive. De nada valerá, depois da morte, encher o seu caixão de flores e amontoar coroas sobre o seu túmulo.
Uma quinta dica para manter o casamento é dar a Deus um lugar na vida do casal. O verdadeiro triângulo amoroso é formado pelo marido, pela esposa e por Deus. Quanto melhor o nosso relacionamento com Deus, tanto melhor será o nosso relacionamento com o companheiro da vida.
Deus deve ser o centro da nossa vida, o Objeto de nosso supremo amor. A vontade dEle deve vir em primeiro lugar e deve ser feita com alegria. Então, da divina fonte de toda boa dádiva, receberão, marido e mulher, aquele amor desinteressado e puro, que une, que enobrece, que faz feliz e bela a vida conjugal.
No capítulo intitulado “O Segredo de Um Matrimônio Feliz”, do livro “A Ciência do Bom Viver”, lemos: “Só em Cristo é que se pode com segurança entrar para a aliança matrimonial. O amor humano deve fazer derivar do amor divino os seus laços mais íntimos. Só onde Cristo reina é que pode haver afeição profunda, verdadeira e altruísta.” 
Amigo ouvinte, Deus instituiu o casamento para que fosse uma bênção. Aqueles que preenchem essas condições possuirão o precioso bem de uma união conjugal venturosa.
Se estou falando neste momento a um casal que não é feliz, gostaria de dizer, terminando: embora possam surgir dificuldades, perplexidades, nem o marido nem a mulher devem abrigar o pensamento de que sua união é um erro ou uma decepção. Que cada um resolva ser para o outro tudo que é possível. Continuem, relembrem as primeiras atenções e gestos de carinho. Que um anime o outro nas lutas da vida. Procure cada um promover a felicidade do outro. Haja amor mútuo e muita paciência. Então, o casamento, em vez de ser o fim do amor, será como que seu começo. O calor da verdadeira amizade, o amor que liga coração a coração, é uma amostra das alegrias do céu.